Os três arquétipos mais surpreendentes do Turbo Pauper Standard

Post Image
08 de agosto de 2016. Decks, Eventos, Pauper Standard, Turbo Pauper Standard

Na semana passada falamos um pouco do metagame do Turbo Pauper Standard, que contou com uma variedade enorme de arquétipos diferentes. Foram vinte e seis arquétipos distintos em trinta e oito decks, sendo que não haviam duas listas iguais.

Top 8 do 1º Turbo Pauper Standard

Um ponto interessante é que como o material sobre Pauper Standard é escasso, as listas acabam sendo soluções "caseiras", mas mesmo assim, alguns padrões acabam emergindo quando uma certa quantidade de jogadores começa a "inventar" os seus decks.

Por essas e outras, três dos decks que ficaram no Top 5 chamaram a atenção, seja pelo fator surpresa, pelo fator consistência, ou mesmo por mostrar que ideias simples também podem ser competitivas.

Abaixo listamos os decks que chamaram a atenção tanto de quem jogou quanto de quem foi assistir o turbo Pauper Standard:

Provando que quando na dúvida, vá de Mono Red Burn, essa lista extremamente bem pilotada pela Taís, terminou com um resultado 5-1, ou seja, o mesmo resultado do campeão, ficando em 5º apenas por causa dos critérios de desempate.

Essa lista usa nada menos que 18 criaturas, um número alto para decks baseados em burn. Mas o pulo do gato aqui é que Termoalquimista e Zangão Espinhoso compensam a falta de burns diretos no formato. Além diso, outras criaturas como Bruto de Guerra Veloz e Rufião do Ermo dos Gritos usam a habilidade de investida para fugir de remoções como Golpe do Esquecimento, Despojar Alma e Compulsão Assassina.

Para limpar a mesa do adversário, temos Bombardeio Galvânico, uma alternativa cada vez mais popular ao Impulso Flamejante, e também Raio Duplo, sem falar dos burns que podem ser jogados tanto nas criaturas, quanto no próprio jogador, como Toque do Vazio e Hemorragia da Realidade.

Além disso, pra recarregar a mão e ainda dar aquela tostada no oponente, temos a dupla Voz Atormentadora e Temperamento Explosivo, que transformam um custo adicional ruim em uma grande vantagem.

A sacanagem fica por conta do sideboard, onde temos 4 cópias de Ato de Traição, e 4 cópias de Distorção Estrutural. A primeira pode ser uma surpresa desagradável contra aquele Devastador Eldrazi, que oponente achou que ia usar pra finalizar o jogo e a segunda pode se mostrar especialmente eficiente contra decks com mais de duas cores, num formato que não conta mais com as life-lands do bloco de Tarkir.

A segunda lista de de hoje também terminou com 5-1 e vai na linha da simplicidade, explorando uma das habilidades menos utilizadas da edição Dragões de Tarkir: Formidável.

A ideia é adiantar o jogo com Cativo de Ulvenwald e Amoque Robustecido para pressionar o adversário com criaturas que possuem ou ganham atropelar para finalizar o oponente com uma sequência de Força de Titã e Fúria Liberta. E para limpar o caminho, Duelista Voldaren e Impulso Flamejante fazem um bom trabalho.

Muito simples, porém rápido, agressivo, e eficiente. Podemos até dizer que essa lista é uma herdeira intelectual do UR Prowess da temporada passada, que ganhava "do nada", combando com criaturas imbloqueáveis "pumpadas" e batendo com golpe duplo. Aqui, ao invés de criaturas imbloqueáveis, temos criaturas grandes com atropelar que vão desgastando os pontos de vida do oponente, turno a turno.

No quesito consistência, está aí uma lista muito difícil de lidar. Tendo terminado também 5-1, exceto pelas remoções, todas as outras mágicas fazem 2 ou 3 pra 1. Além disso o deck abusa de sinergias recursivas, tornando bem menos efetivas as remoções adversárias que não exilam as criaturas.

A dor de cabeça começa quando Assistente Obediente e Pulsação de Murasa trazem de volta as criaturas, enquanto que Sapiente do Monastério traz de volta as mágicas de não-criaturas, num ciclo sem fim. Já o Aviano Rapace e Grifino Miserável, não só são muito eficientes atacando com evasão, como também servem para provocar a morte do Assistente Obediente, trazendo de volta o Sapiente do Monastério, e ainda te fazem comprar cartas.

Outras criaturas como Vigia sem Olhos e Reprodutor Celeste Eldrazi entram em campo deixando tokens que podem tanto ser usados pra gerar mana como para fazer aquele chump-block maroto que vai te dar mais um ou dois turnos.

A base de mana é incrivelmente equilibrada para um deck de três cores e ainda conta com o Druida Primal. Essa carta parece meio boboca a princípio, mas além de parar o ímpeto inicial dos decks mais agressivos, serve ao mesmo tempo para acertar a curva e dar uma rampada, colocando o terreno que estava faltando direto no campo de batalha, que por mais que entre virado, é um terreno a mais na mesa e um a menos no grimório. Quando ela entrar em campo, você vai querer bloquear com ela, e vai torcer pro oponente te atacar.

A surpresa fica por conta do único Surto do Enxame, capaz de aumentar o estrago das criaturas e até transformar aqueles tokens de eldrazi bobalhões em ameaças 3/1 com iniciativa.

O sideboard não tem nenhuma grande novidade (como se precisasse...), contando com respostas em geral, variando de anulações, destruições de artefatos e encantamentos, e mais remoções.

Finalizando

A lista da Taís merece destaque por pegar um arquétipo óbvio e transformar num deck letal ao combinar burns com criaturas que complementam a estratégia, de forma que a maioria dos oponentes não teve como responder, perdendo somente na primeira rodada, num match bastante disputado (2-1) contra o deck que seria campeão do torneio.

Já o Paulo Silva surpreendeu ao bolar uma estratégia eficiente, baseada numa das habilidades menos utilizadas do formato, o que só vem mostrar o quanto ainda há pra explorar no Pauper Standard.

Por fim o Cleiton trouxe uma lista muito consistente, baseada em recursão, que vence trazendo de volta tudo que os oponentes conseguem destruir, até que eles fiquem sem recursos.

Inclusive, essa ideia de recursão parece despontar como uma das melhores estratégias atualmente, visto que no último torneio da Liga Pauper Standard, três dos quatro primeiros colocados venceram com ela, utilizando variações baseadas nas cores preto e verde, com ou sem azul. Fiquem de olho!

Já a novidade da semana fica por conta do Gabriel Scalioni que apenas aprimorando o seu UW Blink, saiu de um último lugar no Turbo Pauper, e fez 4-0 no torneio seguinte, vencendo 100% dos games. Que virada hein!

Será que temos uma nova tendência se aproximando?

Veremos no dia 20 de agosto, quando a Liga Pauper Standard retorna após uma breve pausa para a realização do GPT Dallas (Modern), que vai premiar o campeão com passagens de ida e volta para o GP Dallas no fim do ano:

http://bit.ly/GPT-Dallas2016

Artigos relacionados:

No post de hoje trazemos para vocês o deck que tornou o Renato Silva obsoleto e foi a sensação das últimas rodadas da Liga Deck Store Modern

A temporada de Dominaria já está chegando ao fim. Confiram as datas dos últimos eventos da Liga Deck Store e preparem os seus decks para a grande decisão

Terça-feira é dia de Brawl, e no post de hoje trazemos uma lista que reúne os melhores veículos e pilotos de Kaladesh e será capaz de te colocar no topo do pódio do Brawl.

Sexta-feira é dia de maldade e no post de hoje temos um deck Pauper Standard que vai tirar os oponentes do sério

No post de hoje trazemos um deck Pauper Standard capaz de mostrar que simplicidade não significa ser inofensivo