Mais um ciclo que se completa: Final da 3ª Liga Pauper Standard

Post Image
09 de setembro de 2016. Decks, Eventos, Pauper Standard

Nesse último fim de semana tivemos a aguardada final da 3ª Liga Pauper Standard, que reuniu os 8 melhores colocados no ranking dessa temporada na disputa pela premiação total de R$ 216,00 em créditos na loja, o que equivale a vários decks no formato.

Havia muita expectativa sobre quais decks teriam sucesso na final, uma vez que o formato apresentou uma nítida evolução ao longo da temporada, sendo que nas últimas semanas, os hyper-agressivos estavam tendo uma certa vantagem frente aos demais.

Top 4

Ao contrário do que se imaginava no início da temporada, o que vimos foi um Top 4 com 100% de decks de três cores, sendo que alguns chegavam a rodar uma quarta cor em alguns momentos, mesmo sem utilizar terrenos duais como as life-lands do bloco de Tarkir.

Bem, vamos aos decks então:

O Abzan Auras, pilotado pelo Alex Izidio, é uma evolução do seu BW Auras do início da temporada, adicionando verde para Pulsação de Murasa & Cia. Essa nova versão do deck abusa ainda mais da recursão, enquanto consegue ganhar tempo até poder fechar o jogo.

Infelizmente, enfrentando dois matches muito complicados nas duas últimas rodadas, os dois empates arrancados na marra fizeram com que a lista alcançasse somente o 4º lugar, mesmo terminando o torneio invicto.

O Sultai Faz Tudo, do Leonardo Araújo, só não faz passar a zica! Enfrentando um adversário com um deck afiado na primeira rodada, ela veio no game 2 e levou consigo a chance de um resultado melhor na Final.

Ainda assim, o deck passou fácil pela nova versão do Mono Red do Eriberto Torres, que dessa vez veio com um splash para o verde, e por fim foi agraciado com um Bye graças ao drop do Vinicius Toledo.

Dos males o menor, terminou a final em terceiro.

A surpresa da Final ficou por conta do Bant Blink do André Bacci, inspirado no 'Bant "sem pulsação" Blink' do Alex Santos, com uma pegada ligeiramente diferente. Ele foi subindo ponto a ponto no ranking nas últimas rodadas e conseguiu se classificar em 8º para entrar na Final.

A estrela do deck é a carta Deslocar. Uma instantânea versátil, ela faz as suas criaturas fugirem das remoções que atormentam a maioria dos oponentes dos decks Sultai. Além disso, dado que boa parte das criaturas tem efeitos quando entram no campo de batalha, ela faz uma resposta a remoção ser bem mais doída que um 2 pra 1, sendo algumas vezes, 4 pra 1.

De forma bem surpeendente, ele vem com três Negar de main, o que pega muita gente despreparada. Além disso, o deck possui criaturas com emerge para completar o que blink não faz, ajudando a tomar conta da mesa com bastante consistência. No side, também tem algumas mágicas que precisam de mana preta, algo que mesmo num deck sem Pântano pode ser fornecido pelo Assentamento da Resistência.

Não fosse por uma tech-supresa do Alexandre na segunda rodada, fatalmente poderia ter feito 3-0 e faturado a final. Quem sabe na próxima?

Por fim, o deck que faturou a final, Sultai Emerge, do Alexandre Oliveira. Essa é uma versão extremamente equilibrada e consistente, que foi capaz de passar por três matches muito muito complicados, e apesar do empate na última rodada, garantiu a vitória na final de modo incontestável.

A supresa ficou por conta do side, contendo uma Montanha e três Terra Fervente que fizeram toda a diferença na segunda rodada, contra o Bant Blink do André Bacci. Parece até que ele e o Leonardo Araújo estudaram juntos pra prova, porque, esse truque estava nos sides de ambos e realmente é algo inesperado para um deck que no game 1 não tem vermelho.

Na última rodada, jogando dois games épicos, conseguiu arrancar um empate frente ao "Lendário" alex Izídio e seu Abzan Auras. uma pena que a partida não foi gravada!

Demais decks

Em quinto lugar temos o BG midrange do Eduardo da Silva, que também aproveitou as últimas rodadas para escalar o ranking e se classificar para a final.

Um deck chato de se enfrentar, conseguiu arrancar um emptate contra o Alex Izídio, o que tirou de ambos a chance de uma colocação melhor.

Em sexto, a versão com verde do ex-Mono Red, parece que não deu muito certo para o Eriberto, já que essa variante não conseguiu bons resultados nos últimos torneios.

Em sétimo, o Bant Blink do Alex Santos, é uma ideia boa, mas que olhando pelo side já dedura que precisa ser aprimorada.

Conclusão

A 3ª Liga Pauper Standard foi um grande sucesso e as partidas da grande final comprovaram o alto nível de competitividade dos decks e também dos seus criadores.

Logo logo teremos a chegada de Kaladesh e a queda das edições Dragões de Tarkir e Magic Origens, que certamente vai afetar de forma profunda o formato.

Mas pra quem não quer deixar o deck acumulando poeira, nos próximos dias teremos diversos eventos valendo vaga no Pré Release da Kaladesh:

Próximos Eventos

Artigos relacionados:

No post de hoje trazemos para vocês o deck que tornou o Renato Silva obsoleto e foi a sensação das últimas rodadas da Liga Deck Store Modern

A temporada de Dominaria já está chegando ao fim. Confiram as datas dos últimos eventos da Liga Deck Store e preparem os seus decks para a grande decisão

Terça-feira é dia de Brawl, e no post de hoje trazemos uma lista que reúne os melhores veículos e pilotos de Kaladesh e será capaz de te colocar no topo do pódio do Brawl.

Sexta-feira é dia de maldade e no post de hoje temos um deck Pauper Standard que vai tirar os oponentes do sério

No post de hoje trazemos um deck Pauper Standard capaz de mostrar que simplicidade não significa ser inofensivo